Tokenização de Ativos: Tecnologia do Futuro Mudando o Presente

Investimento Difícil

A tokenização de ativos através da tecnologia blockchain é uma tendência mundial. Com esse processo, é possível trazer mais liquidez e transparência no gerenciamento de diversos ativos físicos e digitais, democratizando investimentos e reduzindo barreiras de entrada para todo o tipo de investidor.

Pedro Rogério

22 ago 2022 • ATUALIZADO 22 ago 2022

As criptomoedas e a tecnologia blockchain são provavelmente os tópicos de discussão mais quentes no campo das Fintechs.

Essas tecnologias apresentaram ao mundo novos avanços e imensos benefícios, com maior transparência, canais distribuídos e descentralização.

De certa forma, elas fornecem soluções para muitos desafios e aplicações existentes no ecossistema financeiro em nível global.

Entre esses elementos, a tokenização de ativos é um conceito que revolucionou totalmente a forma como as pessoas costumavam ver os recursos do blockchain, na transformação de todo o processo de gerenciamento de ativos físicos.

Neste artigo, você vai aprender como funciona esse processo, seus principais benefícios e aplicações.

O que é tokenização de ativos?

O processo de tokenização é a ponte entre os ativos que existem no mundo real e o digital, ampliando assim a capacidade de serem negociados, armazenados e transferidos.

Os ativos tokenizados são representações digitais de propriedade sobre um ativo tangível ou intangível, registrados em uma rede blockchain.

Esse conceito ganhou popularidade significativa nos últimos anos com a adoção das criptomoedas, quando investidores e empresas enxergaram as vantagens que se obtém após tokenizar seus ativos.

Para entender como isso é vantajoso, vamos a um exemplo: suponha que você possua um imóvel avaliado em R$ 500.000,00 localizado em São Paulo, e reside nele.

Em um processo de tokenização, é possível converter o direito de propriedade sobre sua casa em 500.000 tokens, cada um deles representando uma pequena porcentagem dela (0.0002% por unidade).

Se você precisa de R$ 50.000,00 para investir ou fazer uma compra, obviamente que vender a casa inteira não seria ideal, nem viável caso ela seja seu único imóvel.

Exemplo de como funciona a tokenização de ativos imobiliários.

Por outro lado, é possível disponibilizar uma parte dela para compra e venda em corretoras de criptomoedas, sendo negociada por outras pessoas que desejam diversificar seus investimentos.

Assim, você consegue levantar o dinheiro sem se desfazer de sua casa, e já que o registro na blockchain é imutável, ninguém pode sobrescrever ou excluir o direito de propriedade de quem comprar os tokens.

Como a tokenização funciona na prática?

Cada plataforma tokenizadora pode ter suas próprias regras e métodos para digitalizar qualquer ativo em uma rede blockchain.

A seguir, confira um passo a passo geral de como esse processo funciona:

  1. É selecionado um ativo para tokenizar, por exemplo: imóveis, um instrumento financeiro regulamentado, mercadoria física (por exemplo, uma pedra preciosa), uma obra de arte, um colecionável, uma propriedade intelectual, um medicamento ou uma criptomoeda.
  2. Definir o tipo de token adequado (por exemplo: utility, security, NFT).
  3. Análise dos regulamentos legais globais, específicos do país e do setor relevantes para o ativo (por exemplo, regulamentos da CVM para títulos financeiros, ANVISA para ativos de saúde).
  4. Desenvolvimento de um modelo econômico para o ativo tokenizado, que define as características de oferta e demanda, seu valor e os direitos associados aos ativos.
  5. Escolha da plataforma blockchain ideal para tokenização de ativos – Por exemplo, a rede Ethereum.
  6. Desenvolvimento dos contratos inteligentes para programar o comportamento do ativo tokenizado e automatizar a verificação de conformidade com os regulamentos legais relevantes.
  7. Desenvolvimento de aplicativos que gerenciam os ativos baseados em blockchain para emissores de tokens e investidores/detentores dos mesmos.
  8. Integrar a solução de ativos tokenizados com os sistemas necessários, por exemplo: uma wallet, software de contabilidade, gateways de pagamento, serviços de verificação KYC/AML e outros.
  9. Emissão de token (na forma de ITO, STO, IDO, etc.) em sua própria plataforma blockchain ou de terceiros para permitir a distribuição do mesmo ou a compra inicial do ativo tokenizado pelos investidores.
  10. Listagem dos tokens em corretoras definidas pelo usuário para permitir a negociação de ativos tokenizados em um mercado secundário (esse passo é opcional).

Principais benefícios

Eficiência operacional

A maior parte dos tokens são criados em plataformas que utilizam contratos inteligentes, definindo as regras e automatizam todo o processo.

Isso elimina, portanto, a necessidade de intermediários em qualquer transação, reduzindo o risco de fraudes e erros cometidos por um terceiro.

E por conseguinte, os contratos inteligentes eliminam a necessidade de esforço extra em regulamentar e administrar o processo como um todo, ampliando assim a eficiência operacional de uma transação.

Liquidez

Comprar e vender ativos com alto valor aquisitivo é normalmente um processo longo e complexo. Nesse caso, uma propriedade tokenizada elimina alguns intermediários e permite que compradores e vendedores realizem a transferência de forma fácil e rápida.

Os preços de alguns tokens mais populares estão cada vez mais caros, tornando a entrada inacessível para muitos e impedindo investidores ou colecionadores menores de participar desse ambiente cripto.

Fracionar um ativo caro reduz os custos e o torna acessível a mais pessoas.

Transparência

As blockchains são bem conhecidas por sua segurança e eficiência. A adulteração dos dados nessa rede é impossível, já que o seu registro é compartilhado e verificado por todos os seus usuários.

Os ativos tokenizados permitem maior rastreabilidade e transparência, pois cada registro é documentado em uma rede de dados imutável, que contém todo o histórico das atividades realizadas.

Isso garante que as partes envolvidas tenham uma visão clara das informações atualizado de registros de propriedade.

Interoperabilidade

A capacidade de tornar as transações facilmente identificáveis acrescenta a vantagem de ter apenas um único ponto de entrada na obtenção de informações.

É mais viável obter todos os dados em uma única chamada, do que depender de diferentes pontos para verificar as transações e a propriedade.

Usando uma única camada onde todas as transações e dados são armazenadas, faz com que várias partes obtenham as informações completas de uma única fonte.

Além disso, como os dados armazenados no blockchain são imutáveis, os mesmos estão sempre disponíveis para todos a qualquer momento.

Exemplos de ativos tokenizáveis

As possibilidades são infinitas!

De ativos tradicionais – como fundos de capital de risco, títulos, commodities e propriedades imobiliárias – a ativos exóticos – como equipes esportivas, cavalos de corrida e obras de arte – empresas em todo o mundo usam a tecnologia blockchain para tokenizar quase tudo.

A seguir, confira alguns exemplos de ativos que já possuem sua versão tokenizada.

Imóveis

Em 2019, o mercado imobiliário global atingiu o incrível valor de US$ 830 bilhões. Ainda assim, o setor também representa uma das classes de ativos mais ilíquidas conhecidas.

Para obter o direito a propriedade de um imóvel, é preciso superar altas barreiras de entrada, processos de transação complicados e custos administrativos substanciais, além de ser um investimento que requer uma grande quantia.

A blockchain pode ter vários casos de uso no mercado imobiliário, desde a aplicação de contratos inteligentes para as transações envolvidas, até a eliminação de intermediários e redução de custos.

No entanto, de acordo com a pesquisa realizada pela empresa de serviços imobiliários Cushman & Wakefield, um dos casos de uso mais promissores de blockchain no setor está na tokenização de ativos.

Através desse processo, é possível fracionar o direito a propriedade de um imóvel em vários tokens, que são acessíveis a uma base mais ampla de investidores e podem ser negociados em várias corretoras, diminuindo as barreiras de entrada e reduzindo o atrito entre compradores e vendedores.

Ouro

Ao longo da história, o ouro tem sido uma reserva de valor confiável para os investidores, garantindo estabilidade em tempos de incerteza econômica e volatilidade financeira.

A tokenização desse metal pode reduzir a burocracia com a retenção, armazenamento e transferência do ativo.

Assim, os investidores conseguem comprar os direitos de ouro físico real, protegido em cofres, mas ao mesmo tempo facilmente acessível na blockchain.

E mais uma vez, o risco de alguém de vender o mesmo certificado de propriedade para várias pessoas é eliminado, tornando esse processo seguro e confiável.

Obras de Arte

O relatório Art Market 2021, publicado pela Art Basel e UBS, mostra que o mercado global de arte atingiu US$ 50.1 bilhões, sendo que as vendas on-line registraram um valor recorde de US$ 12.4 bilhões, o dobro do que foi registrado em 2020.

No entanto, o crescente mercado de arte contemporânea não mudou seu modelo de negócios há décadas, levando assim a falta de transparência, altas barreiras de investimento, baixa liquidez e vários problemas de direitos autorais.

Obra de arte tokenizada na blockchain.

A tokenização de peças de arte pode resolver alguns desses desafios e abrir o mercado de arte para um público mais amplo.

É também uma maneira eficiente de criar um registro imutável de direitos autorais relacionados a arte, fornecer liquidez com taxas mais baixas e aumentar a transparência para todos os participantes do ecossistema.

O que esperar para o futuro?

A tokenização é o caminho para transformar o gerenciamento de ativos como o conhecemos hoje.

É um processo que democratiza o acesso aos mercados, ao mesmo tempo em que garante uma economia mais justa e segura.

Talvez a maior preocupação no momento esteja ligada aos aspectos legais que envolvem alguns ativos conhecidos, e conforme o mercado vai amadurecendo, novas soluções surgem para resolver esses impasses.

Por fim, uma nova gama de oportunidade se abre para milhões de investidores.